Internação compulsória: Descubra tudo sobre

  1. Home
  2. /
  3. Clínica de recuperação
  4. /
  5. Internação compulsória: Descubra tudo sobre
internacao compulsoria

Internação compulsória: Descubra tudo sobre

Posted in : Clínica de recuperação on by : Denizi

 Nem sempre as pessoas que têm alguma dependência química concordam em buscar tratamento e as razões são distintas. Muitas vezes, esses dependentes acham que podem parar sozinho com o uso da determinada substância; já outros acham que não é o caso de uma internação, ou seja, que eles usam a substância apenas quando querem e que não são viciadas.

Muitas vezes, esses indivíduos acabam se tornando muito violentos ou colocam as pessoas próximas em perigo. Em situações assim, a internação compulsória é considerada uma opção viável; inclusive, pode ser a única opção.

Não existe nenhum problema legal em fazer a internação compulsória de uma pessoa, desde que seja comprovado que ela não tem mais controle sobre si mesmo e, por isso, coloca a sua vida em risco e também a vida de quem fica por perto. Inclusive, os procedimentos de internação compulsória são muito comuns nas clínicas, já que os casos nos quais ela é necessária são frequentes.

 

Internação voluntária

 

Em muitos casos, a internação voluntária acaba sendo possível e, de fato, ela apresenta maiores possibilidades de sucesso porque significa que a pessoa dependente compreende que tem um sério problema. Na maior parte das vezes, as pessoas que concordam com uma internação voluntária têm mais predisposição a levar o tratamento para dependência química a sério.

Para que esse tipo de internação seja possível, é necessário que o próprio dependente entre na clínica por vontade própria, mas é importante contar com uma pessoa para servir de contato da clínica no caso de haver algum problema com o tratamento ou com a pessoa.

 

Internação involuntária: quando ela é mais comum?

 

A internação involuntária é o contrário do tipo acima: nesse caso, a pessoa que tem dependência química não aceita que precisa de tratamento ou simplesmente não quer ficar internada, acreditando que pode vencer o vício sozinha.

O problema é que, muitas vezes, essas pessoas correm risco de uma overdose porque a dependência já está muito avançada. Outra preocupação é que muitos dependentes ficam agressivos quando estão sob efeito da droga e também quando estão em abstinência. Nos dois casos, essas pessoas se tornam uma ameaça e é fundamental que elas sejam tratadas o mais rápido possível.

Cabe destacar que a internação involuntária ou compulsória não é ilegal e nem contraria o direito de ir e vir. Na realidade, existe uma lei que garante que as pessoas próximas ao dependente possam proceder a esse tipo de internação para protegê-lo e para proteger a si mesmas.

 

A internação compulsória oferece mesmo resultados?

 

Existe certo consenso de que a internação compulsória não dá resultado porque o dependente químico não apresenta interesse na sua desintoxicação e, por isso, acaba não se empenhando. Contudo, a internação involuntária pode sim ser muito benéfica.

Em um primeiro momento, é verdade que os dependentes relutam muito em colaborar com o tratamento, inclusive porque, no momento da internação, eles podem estar sofrendo de abstinência ou sob efeito de drogas. Conforme os dias transcorrem, uma boa parte aceita o tratamento.

Leia mais artigos acessando nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *